No AP, cerca de 30% dos estudantes apresentam dificuldades para enxergar

[ad_1]

Um levantamento da Secretaria de Estado da Educação (Seed) aponta que pelo menos 30% dos alunos da rede pública do Amapá apresentam algum problema de visão, o que prejudica o desenvolvimento escolar de crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos. O dado preocupante fez com que a pasta iniciasse o agendando de consultas gratuitas com oftalmologistas.

A chefe da unidade de atendimento de oftalmologia da Seed, Alana Melo, explica que o comportamento dos alunos pode mostrar se eles apresentam algum sintoma relacionado à dificuldade para enxergar.

Segundo ela, em muitos casos, estudantes do ensino fundamental e médio abandonam as aulas devido à falta de um diagnóstico e tratamento preciso.

“Eles demoram mais para fazer as suas lições, ficam agitados ou quietos demais, porque, como não participam plenamente das tarefas, mudam o comportamento. Fora que apresentam sintomas como dor de cabeça e náuseas. Muitos ficam desanimados e até abandonam os estudos por conta da falta de um atendimento adequado que possa apontar o problema de visão”, explicou.

Na sala de aula, ao detectar o problema, os professores devem avisar aos pais e auxiliar para que o rendimento escolar do aluno não seja prejudicado. Essas dificuldades devem também motivar os familiares a buscarem as consultas com um clínico geral.

A coordenadora explica que os agendamentos podem ser feitos de segunda a sexta-feira na secretaria, localizada no Centro de Macapá. Os interessados devem apresentar o encaminhamento do clínico geral, cópia do Cartão SUS, declaração da escola, RG, CPF ou certidão de nascimento.

Alana Melo acrescenta que os pais devem observar sintomas como dor de cabeça e olhos lacrimejando.

“A família precisa estar atenta a todos os sinais e buscar atendimento para evitar que o rendimento do aluno seja prejudicado”, ressaltou a chefe da unidade de atendimento de oftalmologia da Seed.

Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o VC no G1 AP ou por Whatsapp, nos números (96) 99178-9663 e 99115-6081.

[ad_2]

Source link