Mercados da Piçarra e do Parque Piauí: comércio e gastronomia que movimentam Zona Sul de Teresina

[ad_1]

Um é conhecido pela culinária e o outro destaca-se pelo comércio intenso.

Mercado da Piçarra é destaque na gastronomia da Zona Sul de Teresina (Foto: Samantha Araújo / G1 PI)Mercado da Piçarra é destaque na gastronomia da Zona Sul de Teresina (Foto: Samantha Araújo / G1 PI)

Mercado da Piçarra é destaque na gastronomia da Zona Sul de Teresina (Foto: Samantha Araújo / G1 PI)

Com 140 permissionários, o Mercado da Piçarra, localizado na Zona Sul de Teresina, é atualmente patrimônio histórico e cultural da capital. A praça de alimentação, que tem 25 boxes, é o ponto mais disputado do mercado. Nele, teresinenses, turistas e pessoas que adotaram a cidade de Teresina desfrutam da típica gastronomia do Piauí.

Panelada, sarapatel, carneiro ao molho, galinha caipira e um bom cuscuz acompanhado de carne de sol. Tal cardápio é parte da identidade gastronômica de Teresina e pode ser facilmente encontrado no mercado.

Uma das pessoas que tem mais tempo trabalhando no local é cozinheira e permissionária Maria da Paixão Lopes da Silva. Ela conta que conseguiu tudo que tem trabalhando no Mercado da Piçarra. “Acordo bem cedo e durante todo o dia a gente vende comida. Nosso cardápio vai desde um café da manhã simples a um almoço com comidas regionais. Os preços variam de acordo com os pedidos dos clientes”, conta a permissionária.

Para Paixão o mercado é uma segunda casa já que ela ocupa o espaço todos os dias da semana. “A gente só fecha um dia no ano que é a Sexta-Feira Santa. Um dia só que falto, já fico doente”, disse.

Panelada é um dos pratos que contribuíram para a fama do Mercado da Piçarra (Foto: Ellyo Teixeira / G1 PI)Panelada é um dos pratos que contribuíram para a fama do Mercado da Piçarra (Foto: Ellyo Teixeira / G1 PI)

Panelada é um dos pratos que contribuíram para a fama do Mercado da Piçarra (Foto: Ellyo Teixeira / G1 PI)

O local é um dos pontos tradicionais de jovens logo no início da manhã, quando saem da balada. Raimunda Rodrigues também é permissionária e vende café da manhã. Há 18 anos trabalhando no local ela também criou a família com o que ganhou no mercado.

“Os adolescentes adoram amanhecer aqui para degustar de uma boa comida caseira, principalmente caldos. São muitos anos dedicados ao mercado, mesmo antes de construírem esse galpão”, destacou.

Atualmente o mercado passa por uma reforma em sua estrutura física. O investimento da obra é de aproximadamente R$ 600 mil e no projeto estão previstas intervenções nos boxes, a renovação completa do sistema elétrico do prédio e da parte hidráulica. Estão previstas também a instalação de um novo piso de alta resistência, bem como reforma total dos banheiros.

Durante a obra os permissionários foram deslocados para um prédio em frente o mercado.

Parque Piauí se destaca pelo estímulo ao comércio

Os mercados de bairros de Teresina sempre se mantiveram na categoria de verdadeiros pontos históricos da cidade, graças às décadas de história e à diversidade de gostos e estilos reunidos em seus prédios. Para alguns é o lugar de comer e comprar, para outros uma forma de viver dignamente e alimentar seus sonhos.

Um dos mercados mais conhecidos e frequentados da Zona Sul da capital é o mercado do bairro Parque Piauí. No local são 26 permissionários na Praça de Alimentação, 50 no setor de carnes, 10 na venda de vísceras e 28 de cereais e verduras.

Comércio de roupas impulsiona mercado do Parque Piauí (Foto: Samantha Araújo / G1PI)Comércio de roupas impulsiona mercado do Parque Piauí (Foto: Samantha Araújo / G1PI)

Comércio de roupas impulsiona mercado do Parque Piauí (Foto: Samantha Araújo / G1PI)

O Mercado do Parque, como é chamado pelos mais íntimos, é um dos mais tradicionais de Teresina. Ele foi construído na década de 70, no governo Dirceu Arcoverde, com o bairro que tem características de conjunto habitacional. Atualmente o Mercado do Parque Piauí destaca-se pelo comércio intenso.

Localizado na Avenida Marechal Juarez Távora, principal avenida do bairro, é um polo comercial da Zona Sul de Teresina, especialmente para todos os bairros que ficam até o limite do bairro Tabuleta.

Maria Silva Freitas, de 65 anos, trabalha no mercado há mais de 20 anos e garantiu que o local é uma nova casa. A mulher tem uma loja de roupas, uma fonte de renda que ajuda no sustento da família.

“Aqui temos uma integração sobre várias classes sociais de frequentadores: desde as pessoas mais humildes a políticos, empresários e profissionais liberais. O preço é acessível e a culinária gratificante, simples, mas apetitosa. Venho todos os dias”, disse.

Mário Siqueira também tem um box de roupas. Há 16 anos como permissionário, o homem de 68 anos disse ser muito feliz com a vida que leva no mercado. Sorridente, o senhor contou a rotina e o que ganhou de mais valioso no espaço de comércio.

“Foi aqui que conheci os amigos que tenho hoje. Todo dia é dia de frequência acentuada de visitantes ao setor de alimentação do mercado e com isso pude fazer várias amizades. Em dias comuns começa geralmente por volta das 5h30, horário em que já é possível comer de tudo”, ressaltou Mário Siqueira.

O permissionário disse ainda que no alvorecer dos sábados, domingos e feriados o mercado é o local mais movimentado da capital. “Centenas de teresinenses e visitantes comparecem para comer e fazer compras de roupas. Muitos que fazem caminhadas matinais também repõem suas calorias no Mercado do Parque Piauí”, afirmou.

[ad_2]

Source link